Semana de warm up

Nesta quinta-feira, dia 26, será realizada a segunda sessão do Ciclo de Cinema, Cultura e Liberdade, no StudioClio (Rua José do Patrocínio, 698 – Cidade Baixa, Porto Alegre – RS). Promovido pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE), o evento é um warm up para a 25ª edição do Fórum da Liberdade.

Para finalizar o mês de janeiro, o filme escolhido é “Trabalho Interno” e o convidado para o debate é o fundador dos Institutos Millenium e Mises Brasil, Hélio Beltrão.

A sessão inicia às 18h30 e, logo após, será realizada a discussão acompanhada por um coquetel para os convidados. Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na página do StudioClio pelo valor de R$ 30,00. Mais informações pelo telefone (51) 3254.7200.

Confira abaixo a programação dos próximos encontros:

26/01 – Filme: Trabalho Interno / Debatedor: Helio Beltrão

09/02 – Filme: Quebrando o Tabu / Debatedor: Maria Lúcia Karam

08/03 – Filme: RIP: a Remix Manifesto / Debatedor: Pedro Paranaguá

Saiba mais sobre os filmes:

Trabalho Interno (Inside Job, 2010)
Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, Trabalho Interno faz um panorama da crise financeira global, que custou ao mundo US$ 20 trilhões de dólares e resultou na perda de empregos e imóveis para milhões de pessoas. Escrito e dirigido por Charles Ferguson e narrado pelo ator Matt Damon, o filme traz entrevistas de executivos de grandes bancos, políticos, jornalistas e acadêmicos. Na visão do diretor, a crise de 2008 foi um episódio totalmente evitável, fruto da desregulamentação e da falta de controle público decorrente de um sistema corrupto. Será?

Quebrando o Tabu (2011)
Tendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso como âncora, Quebrando o Tabu é um documentário do diretor Fernando Grostein Andrade que defende a descriminalização das drogas. Entrevistando personalidades como os ex-presidentes norte-americanos Bill Clinton e Jimmy Carter, o médico Drauzio Varella e o escritor Paulo Coelho, FHC exibe adeptos de sua cruzada por um tratamento mais humano e educativo para usuários. Ao mostrar experiências bem-sucedidas com esse viés e ao entrevistar jovens, o filme propõe o fim da cultura de guerra às drogas.

RIP: a Remix Manifesto (2009)
Direitos autorais, pirataria, liberdade de recriar e compartilhar. Com RIP: a Remix Manifesto, o cineasta e cyberativista Brett Gaylor traz à tona as contradições entre as tradicionais leis de copyright e a era da informação e das redes. Partindo da história de Girl Talk, DJ famosos por seus mash-ups – criações que usam como base sons de outros autores -, o diretor entrevista nomes como Lawrence Lessig, criador do Creative Commons, e o músico e ex-Ministro da Cultura brasileiro, Gilberto Gil.
Com algumas imagens filmadas em favelas do Rio, RIP: a Remix Manifesto conta com cenas enviadas por internautas de diferentes partes do mundo e, claro, é exibido gratuitamente on-line. Mas nada melhor do que assisti-lo na tela grande e poder compartilhar suas ideias e impressões ao final.

FacebookShare

Fórum da Liberdade abre inscrições para a 25ª edição

As inscrições para o 25º Fórum da Liberdade já podem ser efetuadas. Basta clicar aqui e preencher os dados solicitados. O ingresso é válido para os dois dias do evento, 16 e 17 de abril. As inscrições só poderão ser realizadas pela internet.

Confira os valores:

R$ 40,00 – ingresso profissional.

R$ 20,00 – ingresso para estudante (mediante comprovação do vínculo estudantil na retirada dos materiais no local do evento).

FacebookShare

IEE promove warm up para o 25º Fórum da Liberdade

Na próxima quinta-feira, dia 12, o Instituto de Estudos Empresariais (IEE) dará início ao inédito evento “Ciclo de Cinema, Cultura e Liberdade”, que será um warm up para o 25º Fórum da Liberdade.

O Ciclo de Cinema, Cultura e Liberdade será divido em quatro encontros, realizados no StudioClio, que contarão com a apresentação de filmes seguidos por discussões com especialistas nas áreas temáticas das sessões. Haverá também coquetel para os participantes.

Os longas foram escolhidos a partir de temas atuais como crescimento sustentável, empreendedorismo, política e educação, que fazem parte do tema de comemoração dos 25 anos do Fórum da Liberdade, “2037: que Brasil será o seu?”

As sessões serão realizadas às 18h30, no StudioClio, em Porto Alegre/RS (Rua José do Patrocínio, 698, Cidade Baixa). Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente na página do StudioClio, pelo valor de R$ 30,00. Mais informações pelo telefone (51) 3254.7200.

Confira abaixo a programação dos próximos encontros e participe!

12/01 – Filme: Sicko: $O$  Saúde (2007) / Debatedor: Rodrigo Constantino

26/01 – Filme: Trabalho Interno / Debatedor: Helio Beltrão

09/02 – Filme: Quebrando o Tabu / Debatedor: Maria Lúcia Karam

08/03 – Filme: RIP: a Remix Manifesto / Debatedor: Pedro Paranaguá

 

Saiba mais sobre os filmes:

Sicko: $O$  Saúde (2007)
Mais uma obra do polêmico diretor Michael Moore – o mesmo de Tiros em Columbine e de Farenheint 11/9 -, Sicko: $O$ Saúde faz crítica ao sistema de saúde norte-americano. Relata dramas de famílias que não puderam pagar por tratamento nos Estados Unidos, exaltando o sistema de saúde cubano. Ame-o ou o odeie, Michael Moore é sempre um bom motivo para se debater.

Trabalho Interno (Inside Job, 2010)
Vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, Trabalho Interno faz um panorama da crise financeira global, que custou ao mundo US$ 20 trilhões de dólares e resultou na perda de empregos e imóveis para milhões de pessoas. Escrito e dirigido por Charles Ferguson e narrado pelo ator Matt Damon, o filme traz entrevistas de executivos de grandes bancos, políticos, jornalistas e acadêmicos. Na visão do diretor, a crise de 2008 foi um episódio totalmente evitável, fruto da desregulamentação e da falta de controle público decorrente de um sistema corrupto. Será?

Quebrando o Tabu (2011)
Tendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso como âncora, Quebrando o Tabu é um documentário do diretor Fernando Grostein Andrade que defende a descriminalização das drogas. Entrevistando personalidades como os ex-presidentes norte-americanos Bill Clinton e Jimmy Carter, o médico Drauzio Varella e o escritor Paulo Coelho, FHC exibe adeptos de sua cruzada por um tratamento mais humano e educativo para usuários. Ao mostrar experiências bem-sucedidas com esse viés e ao entrevistar jovens, o filme propõe o fim da cultura de guerra às drogas.

RIP: a Remix Manifesto (2009)
Direitos autorais, pirataria, liberdade de recriar e compartilhar. Com RIP: a Remix Manifesto, o cineasta e cyberativista Brett Gaylor traz à tona as contradições entre as tradicionais leis de copyright e a era da informação e das redes. Partindo da história de Girl Talk, DJ famosos por seus mash-ups – criações que usam como base sons de outros autores -, o diretor entrevista nomes como Lawrence Lessig, criador do Creative Commons, e o músico e ex-Ministro da Cultura brasileiro, Gilberto Gil.
Com algumas imagens filmadas em favelas do Rio, RIP: a Remix Manifesto conta com cenas enviadas por internautas de diferentes partes do mundo e, claro, é exibido gratuitamente on-line. Mas nada melhor do que assisti-lo na tela grande e poder compartilhar suas ideias e impressões ao final.

FacebookShare

Obstáculos para um crescimento sustentável serão debatidos no Fórum da Liberdade

Que nota você daria para a infraestrutura brasileira? E se você fosse comparar com a dos demais países no mundo? De acordo com o ranking global de competitividade do Fórum Econômico Mundial, em 2011, o Brasil passou do 84º para o 104º lugar nesse quesito. Isso significa que a infraestrutura brasileira despencou 20 posições desde o ano passado, baixando a qualidade pela segunda vez consecutiva. Dentre as piores áreas estão a malha rodoviária e os portos. É isso que queremos para 2037?

A situação da infraestrutura nacional é uma das questões que exigem preocupação, e é por isso que será um dos subtemas do 25º Fórum da Liberdade.

Dentre os últimos anos, os investimentos no Brasil aumentaram de R$ 58 bilhões para R$ 121 bilhões. Houve uma estratégia para promover investimentos públicos e privados nos setores de infraestrutura, como meio de acelerar o crescimento da economia, fortalecer a competitividade dos setores produtivos e criar bases para a inserção social e para o bem-estar das pessoas. Mas será que essas táticas foram suficientes? Como as empresas podem agir, pensar e propor soluções e ao mesmo tempo fazer com que as estruturas não desmoronem?

Em dezembro de 2011, o BNDES divulgou, no boletim “Economia Brasileira em Perspectiva”, preparado pelo Ministério da Fazenda, que os investimentos em infraestrutura crescerão 54% até 2014. No entanto, como isso pode acontecer da melhor maneira? Quem serão os responsáveis por este crescimento? Onde, em toda essa questão, estamos falando de público, e onde entra o papel do privado? É possível ter um crescimento sustentável? Quais são os obstáculos?

Traga suas opiniões aqui para o blog e participe da discussão!

FacebookShare